27 de jul de 2015

Cuidados com os Bufalos

Inovação no manejo de búfalos

Manejo

Embora os bubalinos sejam de grande rusticidade e de fácil adaptação eles necessitam de cuidados e tratos adequados. As recomendações para os bovinos são válidas para os búfalos, mas ajustados os vários elementos indispensáveis para uma exploração racional e econômica.
O búfalo vive bem nas regiões secas ou alagadiças, em zonas de clima tórrido ou temperado em altitudes variadas. O importante é o manejo correto, adequado as condições onde é criado.
O manejo do búfalo é quase igual ao do boi. O búfalo dá piolho e verme, que podem ser facilmente combatidos. O piolho é do tamanho de um carrapato. Para combatê-lo, o animal se coça nas árvores e se cobre de lama. Sempre metido na lama, o animal é atacado por vermes. Assim, é necessário combater o piolho e os vermes. Ele pasta qualquer capim e não atola. É um animal mais gregário do que o boi. Vive em famílias. Deve ser custeado para continuar manso. É dócil, inteligente. Aceita ser montado. Possui uma força imensa. Não dá coice pra traz. É grandalhão e não cabe no tronco dos bovinos.
É desmamado aos dez meses, o que ocorre em janeiro; pode entrar imediatamente em confinamento, com 1kg de concentrado por dia, e ser abatido em agosto, aos 18 meses de idade, com 380kg, na época em que a carne possui bom preço.
Seu consumo de matéria seca em função do peso corporal é ligeiramente superior ao dos bovinos sendo, porém, reconhecidamente melhor conversor de alimentos mais pobres em carne e leite que os bovinos, apresentando excelente resposta na produção leiteira quando adequadamente alimentadas.
Ordenha
O processo de ordenha é manual, e também com uso sistemático de ordenha mecânica, necessitando os equipamentos pequenas adaptações, particularmente ao que se refere à pressão de vácuo e eventualmente na dimensão dos bicos. A apojadura normalmente é feita com a presença do bezerro, o que é bastante facilitada pelo fato de que em poucas semanas, o bezerro "aprende"o nome da mãe e assim, atende quando chamado pelo ordenhador, dirigindo-se sozinho para a sala de ordenha. Mesmo assim, sem utilização de drogas, temos diversos animais que "apojam" sem a presença dos bezerros. Não há necessidade de "amarrar" a fêmea durante a ordenha.
Um cuidado adicional, principalmente nas fêmeas de maior produção, refere-se à prevenção e tratamento da mastite. Os úberes são limpos e desinfetados antes e após a ordenha, o leite é regularmente testado (CMT) a fim de se detectar a presença de infeção sub-clínica . Nos casos clínicos os animais são isolados e recebem tratamento específico. Animais estabulados tem suas fezes recolhidas diariamente.
Adaptações


Apesar de "rústico", o búfalo está sujeito às mesmas doenças que afetam os bovinos, devendo-se pois atentar para as medidas profiláticas usuais tais como vacinações, desverminizações, pulverizações e exames periódicos de controle.


Devido às características de sua pele, mais grossa, de pelagem negra e com menor quantidade de glândulas sudoríparas, principalmente em climas mais quentes, deve-se evitar o ocorrência de "stress térmico", fornecendo aos animais sombreamento e/ou água para banho, a fim de evitar comprometimento na produção, no desenvolvimento e mesmo na fertilidade do rebanho.A presença de um lago açude ou aguada na fazenda é desejável, pois além de refresca-los e protege-los dos raios solares, hidrata a sua pele. Deve-se atentar para a contenção destes animais. Assim, as cercas, que podem ser de arame farpado ou liso devem ser mantidas em bom estado de conservação. Os búfalos respeitam bem cercas eletrificadas, mesmo que com um só fio. Observa-se porém que, na ausência de alimentação disponível, o animal, dado seu porte avantajado, busca o alimento onde ele se encontrar disponível, rompendo com mais facilidade cercas em mau estado de conservação, ou se aproveitando de eventuais interrupções de energia nas cercas eletrificadas. 
Como já dizia um criador, "... a melhor cerca para o búfalo é um bom pasto...". Alguns criadores optam pela contenção dos animais à noite, quando aproveitam para suplementar suas necessidades de volumosos e, dado seus hábitos noturnos, evitar sua movimentação excessiva. Apesar de seu tamanho avantajado,são raros problemas com seu temperamento, a não ser em fêmeas com crias recém nascidas, particularmente novilhas. Porém, não se verifica o comportamento de dominância observado nos touros bovinos, onde muitas vezes se pode manter mais de um macho em um mesmo lote. Os touros adultos não podem ser mantidos juntos, principalmente em estações de monta. Animais velhos, principalmente machos, podem apresentar-se mais bravios e nestes casos, devem ser eliminados.

A rotina e interação com os tratadores é fundamental na manutenção dos níveis de produção em búfalas. Assim, mudanças bruscas de manejo, presença de estranhos durante a ordenha, alterações na regularidade das ordenhas e alimentação podem promover redução importante em sua produção.
Postar um comentário