24 de out de 2013

Manual do Criador: 1- ORIGEM DAS GALINHAS DOMÉSTICAS



MANUAL DO CRIADOR

Índice

1. ORIGEM DAS GALINHAS DOMÉSTICAS
2. MATRIZES
3. NINHOS
4. OVOS - TEMPO INCUBAÇÃO
5. PINTOS
6. AQUECIMENTO
7. ALOJAMENTO
8. ALIMENTAÇÃO NATURAL E HIGIENE
9. LIMPEZA DOS AVIÁRIOS
10. DESINFECÇÃO
11. DOENÇAS / MEDICAMENTOS
12. DOENÇAS E PROFILAXIA
13. DETALHES PROFISSINAIS DAS DOENÇAS, DIAGNÓSTICOS E REMÉDIOS.
14. QUALIDADE DA ÁGUA
15. CHECKLIST PARA UMA BOA ADMINISTRAÇÃO
16. AVES RECÉM-CHEGADAS
17. PROPORÇÃO DE EQUIPAMENTOS
18. QUADRO DE VACINAS
19. REMÉDIOS CASEIROS
20. INFORMAÇÕES SIMPLES
21. COMERCIALIZAÇÃO
22. A ARTE DE INCUBAR
1-ORIGEM DAS GALINHAS DOMÉSTICAS

O encantamento da vida no campo, nos leva a coisas simples, e relevantes. Não podemos lembrar de terra e criação, sem o cantar de um galo imponente e pontual na beirada de nossa janela. Os ovos pesquisados e saudáveis, colhidos à pouco, e servido no café da manhã, ou o gosto de caça, de uma deliciosa galinha cabidela ou mesmo, de um prato internacional servido no almoço.
A criação de galinha vai muito além desses prazeres, ela é consumida em 100% dos lares brasileiros, entretanto, somente a galinha caipira é fonte de proteínas e nutrientes sem hormônios e sem produtos industrializados.
Para muitos, criar galinhas, sintetiza toda uma mudança, no estilo de vida, é o campo, a saúde a qualidade de vida.
A galinha foi domesticada no continente asiático, e muitos sustentam que é proveniente do “gallus gallus” que até hoje habita as selvas da Índia. As galinhas foram classificadas em 1870, quando foram reunidos em 86 linhagens e 235 variedades. Hoje, estão classificados em 200 variedades incluindo perus, gansos, patos e marrecos. A publicação oficial que contem classificações é o “American Poultry Association Standard of Perfection” esse livro, é um guia indispensável e completo para quem deseja se aprofundar na criação de aves ornamentais, em pintinhos, galinhas, faisão, gansos, marrecos, perus e outros.
A fazenda Califórnia, aceita encomendas de exemplares desse livro, importado, escrito em inglês e com farta exposição de fotos e minúcias das características de cada raça.
As grandes variedades de aves são criadas nos Estados Unidos e em alguns países da Europa. O livro “Living with Chickens” resume bem o sentimento dos colecionados
das linhas raças existentes: “Welcome to the wonderful world of poultry in general and chickens in particular” = “Bem vindo ao maravilhoso mundo das criações de aves em geral e das galinhas em particular”.
Rhodes Island Red – Plymouth Rock Barrado – New Hampshire – Label Rouge pescoço pelado) – Gigante Negro e Gigante Negro com Plymouth, são aves belas,
rústicas, criadas soltas no campo e de dupla aptidão – ovos e carne.
As raças puras, de origem americana e inglesa, têm sido utilizadas com o objetivo de melhorar o plantel das aves caipiras (capoeira). Ao serem cruzadas, dão origem a aves grandes, robustos, e com todas as características das caipiras. São aves que permitem ao criador várias gerações de aves sem perdas da produtividade.
A produção industrial produz os frangos “híbridos” abandonando as raças puras. A produção industrial programa suas galinhas para abate com 45 dias com 2,400kg com conversão alimentar de 1,7 de rendimento, tudo dependendo do sistema de produção, as vezes em menos prazo.
As galinhas de postura industrial, à cada dia, ficam menores e produzindo mais ovos, evidentemente, os recursos para obter esses resultados, são ditos pelos que observem a produção orgânica, como cheios de hormônios e produtos industrializados.
As raças puras de dupla aptidão, alimentam-se em pastos ou em áreas de solta, ou em sistema semi-confinado, com uma área coberta e uma área de solta. Os alimentos
básicos são: verduras, frutas, milho, capim de varias espécies como: guandu, cofei e rami, também se alimentam com mandioca, macaxeira, batata doce, folhagens, leguminosas, hortaliças diversas, pequenos insetos e outros recursos naturais.
Que tem alguma área e pode criar as suas aves livres de produtos tóxicos, está fazendo um investimento na saúde.
As aves híbridas não servem para reprodução. As aves puras são as criadas soltas.
Certas espécies produzem prole fértil quando cruzadas entre si, são as boas misturas genéticas, entretanto, as raças hibridas, não se reproduzem satisfatoriamente, o crescimento é mais lento, reduzido, têm postura mais baixa e menor resistência as doenças.
A fazenda Califórnia não cria raças híbridas, todas as aves são PO, daí o preço mais elevado que os de galinha de granja.
Importante para criar aves puras de dupla aptidão é formar um plantel com pintos adquiridos em empresa que tenha credibilidade e tradição.
Uma opção do criador é ter algumas aves livres de tóxicos, com ovos e carnes orgânicos ideais para um consumo saudável.
Se o criador buscar um pequeno lucro, poderá produzir um número pequeno de galinhas, por exemplo, 30 galinhas por semana, que poderão ser vendidos à um feirante da cidade ou a venda direta à quem quiser consumir galinhas e ovos caipira.
Outra opção seria o criador adquirir um número maior de pistas criar e vender os frangos num comércio que poderá ser maior ou menor de acordo com o capital e mercado consumidor.
A opção mais rentável e mais complicado, é criar uma estrutura de produção, adquirir as matrizes, produzir os pontos, e vender o produto na escala que puder contar de capital grande, média ou pequena. Esta última opção exige muito planejamento e trabalho, inclusive licença do Ministério da Agricultura (MAPA) e do órgão estadual da Secretaria da Agricultura sempre é preciso ter em vista que a ave caipira tem um preço final (junho/2012) em torno de R$ 14,00 e a galinha de granja R$ 3,50. A galinha caipira leva mais tempo, mas alimenta-se de produtos sem alto custo como a ração balanceada.
Este site, dispõe no seu tópico de “Manual do Criador”, de uma orientação para toda a criação de galinhas no sistema solto e semi-confinado.
No sistema, confinado e semi-confinado as rações não contêm promotores de crescimento.
No sistema confinado podem ser alojadas 32 aves por baia (5 aves/m2). No semi-confinado podem ser alojado 64 aves por baia (5 aves/m2) até os 35 dias de idade, em seguida, devem ser transferidas para cabanas de 3m pór 3,5m com acesso a piquetes de 15m por 33m, onde permanecem até o abate.
A Divisão de Operações Industriais (DOI), do DIPOA (Oficio Circular DOI/DIPOA
no 007/99). Ofício Circular impõe que as aves criadas no sistema caipira no Brasil, tenham acesso à piquetes com no mínimo 3m2 de espaço/ave e idade para abate no mínimo 85 dias, e regime alimentar constituído por ingredientes exclusivamente de origem vegetal, alem de ser proibido o uso de promotores de crescimento.
As raças puras que são criadas soltas tem dupla aptidão para carne e ovos foram desenvolvidas na Inglaterra e nos Estados Unidos no século 18 e 19. As raças Plymouth e Rhodes Island Red, são criadas em 80% das casas americanas.
Essa grande opção por essas raças, devem-se a maior produção de carne e ovos, que além de representarem um grande suplemento alimentar, possibilitava uma receita para os criadores. Mais tarde, justaram-se as essas duas raças, as galinhas Label Rouge (pescoço pelado), New Hampshire e Gigante Negro, mais tarde cruzada com a Plymouth, dando origem a uma ave bem graúda e ótima poedeira (Gigante Negro x Plymouth).

PARA MAIS INFORMAÇÕES CLIQUE NO TÓPICO: "MANUAL DO CRIADOR"


Postar um comentário