9 de jan de 2018

Criação do Canário do Reino (SERINUS CANARIUS)



História

O canário (Serinus canaria), também conhecido como canário-do-reino ou, popularmente, canarinho é um pequeno pássaro canoro, membro da família Fringilidae. Este pássaro é originário dos Açores, da ilha da Madeira e das ilhas Canárias. O seu nome vem destas últimas, sendo que o nome das ilhas vem da palavra em latim canaria que significa "dos cães", já que os romanos encontraram ali muitos cães selvagens. O nomecanário-do-reino foi dado em oposição ao canário-da-terra, pois os canários eram levados por piratas e navegadores como presentes aos reis europeus.

Características

É um pássaro com um comprimento total de 12,5 centímetros e com um comprimento de asa de 71 milímetros.

O canário-do-reino é um dos pássaros mais conhecidos entre todos os pertencentes ao gênero Serinus. Alguns são inteiros amarelos, mas também podem ocorrer variações na sua coloração, como: sua tonalidade amarela pode ter uma variação entre o branco (deixando assim a pena branca ou um tom bem fosco de amarelo) ou entre o laranja (a pena pode ficar até em um tom mínimo de laranja, o que é um pouco raro. Mas o comum dessa tonalidade forte das penas, é de ficar amarelo-forte, quase chegando a ser laranja).

Alimentação

Das sementes usadas para canários, há que destacar o alpiste que pode ser fornecida sem restrições; todas as restantes, têm que ser fornecidas de forma dosada, pois são exageradamente ricas em óleos ou gorduras, dentro desse grupo temos sementes ricas em ómegas 3 e 6, com excelentes efeitos terapêuticos. 

As sementes que possuem extrato etéreo são especialmente úteis na muda, mas é necessário saber dosá-las. A perilla e do fónio, têm propriedades comprovadas a nível de promoção da saúde das aves, na prevenção e resolução de problemas digestivos, entre outros.

Reprodução

A reprodução dos canários acontece entre os meses de agosto a dezembro. Normalmente faz-se o acasalamento na segunda quinzena de Julho para que, no início de agosto, já possam ser observadas as primeiras posturas.

O ninho adequado é aquele em forma de taça, com forro de espuma ou flanela. Na hora de escolher os casais, certifique-se de que o macho esteja cantando vigorosamente e de que a fêmea esteja ( pronta ). 

Assim evitará posturas de ovos não fertilizados e perda de tempo. Para as fêmeas confeccionarem seus ninhos indico o ( Saco de Batata ) pode ser adquirido em Mercados, Sacolão etc. Depois de bem lavados e cortados em tiras ( pedaços ) com aproximadamente 5cm x 5cm colocar umas 4 tiras pendurados dentro da gaiola, com esse material ela confeccionará o ninho. 

Postura

Normalmente uma canária põem de 3 a 4 ovos em dias seguidos, as vezes pode ocorrer intervalo de um dia entre um ovo e outro. Entre 6 e 7 horas da manhã a canária realiza a postura, não é conveniente entrar no criadouro muito cedo. 

A medida que os ovos são postos devem ser retirados e substituídos por "ovos indez" ( ovos plásticos ) e colocados em um pequeno recepiente em plástico, louça, contendo mistura de sementes, ou algodão, servirá para acondicionar os ovos recolhidos e que devem ser virados diariamente devendo ser recolocados ao final da postura. 

A finalidade de tal procedimento é simplesmente permitir que a eclosão ocorra simultaneamente, evitando discrepância de desenvolvimento entre os filhotes. Geralmente, os nascidos por último morrem, quando não se utiliza tal conduta. 

Separação dos Filhotes 

Entre o 15º e 20º dias os filhotes começam a deixar o ninho. Porém, a pemanência no ninho até 20 dias é normal. 

A saída prematura é indesejável e representa algum tipo de problema: o menor deles é quando o filhote se assusta e salta fora do ninho. Recomenda-se não trocar o ninho após o 12º dia. Filhotes quando mal nutridos tendem a sair precocemente do ninho em busca de alimentação ( atrás dos pais ). 

Nestes casos não há muito o que fazer e tentar recolocá-los de volta é perda de tempo. Por outro lado, os bens criados, deixam o ninho de modo tranqüilo, completamente emplumados e sem mostrar desespero por alimentação.
Acontece que, de um modo geral, tende a ocorrer a debicagem dos filhotes. Algumas fêmeas deixam completamente desnudos seus filhos o que representa uma tragédia para o futuro: dificilmente se formará uma plumagem normal. 

Ao se perceber os primeiros sinais de debicagem o criador deve interferir seja separando os filhotes com uma grade divisória, seja fornecendo material para confecção do novo ninho. Sugerimos que os filhotes passem a metade do dia com o macho e a outra metade sozinhos. 

Colocando-se a farinhada de ambos os lados tanto a fêmea quanto o macho tratarão dos filhotes e, ainda estaremos proporcionando a oportunidade para que o macho fertilize, quando estiverem juntos.

Quando os filhotes estiverem comendo sozinhos é chegada a hora da separação, geralmente, ocorre entre o 28º e 30º dias. Separados deverão ser colocados em uma voadeira de modo que possam se exercitar e serem levados para os "banhos" de sol e água.

Escolha dos Pássaros

Este é um assunto que re­quer algum conhecimento. Co­mo seria longo demais para ser comentado em todos os seus detalhes recomendamos ao neo-criador que procure adquirir seus pássaros com o auxílio de um criador mais experiente, ouvindo sempre a sua opinião a respeito visto que, além de outras inúmeras condições que as aves reprodutoras devem possuir há o fato do acasalamento perfeito, no que tange a sua linha cor e porte Todavia, um fator muito importante é que todo canário, tanto macho como fêmea, deve gozar de perfeita saúde.

A época para o acasalamento varia, de acordo com o clima de cada região. Em nosso país, via de regra, vai de ju­lho a dezembro. Entretanto há fêmeas que “aprontam antas desse período, outras demo­ram mais. É muito fácil de reconhecer quando a fêmea está “pronta” para o acasalamento. Ela se mostra inquieta dentro da gaiola, saltitando de poleiro para poleiro, batendo as asas, dando a impressão que quer se libertar. 

É costume entre alguns criadores assoprarem na região anal da fêmea para se saber se ela já está em condições de ser acasalada. A fêmea em condições apresenta a sua região ventral bastante dilatada. O macho, por sua vez, deverá estar “fogoso’ e a simples presença de sua futura companheira, torna-o indócil, com as penas da cabeça eriçada e canta estridentemente avançando em sua direção”.

O Choco

Uma vez acasalado a fêmea busca o ninho onde, com seu corpo, procura amoldá-lo e amaciá-lo para ali colocar os seus ovos. É comum entre os canarícultores colocar na gaiola fiapos de estopa para que a fêmea revista o seu ninho. Os fiapos, entretanto, não deverão ter mais do que 4 cm de com­primento, para que possam ser facilmente carregados pela fêmea. não embaracem em seus pés e não ofereçam perigo de serem arrastados quando a ave deixar o ninho.

Alguns dias após o acasala­mento, geralmente três dias após estar com o ninho pronto, a fêmea põe o primeiro ovo, que deve ser cuidadosamente retirado, guardado em uma cai­xinha com alpiste e em segurança e, ser colocado no ninho, em seu lugar um ovo índex. Nos dias que se sucedem a postura do primeiro ovo a fê­mea continua botando. Uma boa criadeira chega a colocar seis ovos, um por dia. A postura da entre às 6:00 e 7:00 hs.
Quando a fêmea tiver colocado o último ovo, o que é fácil de se saber, por se tratar de um ovo menor e de casca mais azulada que os demais, retira-se ovo índex e coloca-se no ninho os demais que estavam guardados na caixinha com alpiste e que foram vira­dos todos os dias para não se­pararem os seus líquidos e tornarem inférteis.No meu caso estou criando e não tirei os ovinhos ela já botou três e só sai do ninho pra comer. 

Feito isso co­meça o choco, que dura de 13 a 14 dias. Durante estes dias e mesmo nos primeiros dias de vida dos filhotes não é aconselhável tirar a gaiola do lugar.
Com 20 dias mais ou menos os filhotes abandonam o ninho e entre os 25 aos 30 dias começam a comer sozinhos, ocasião em que deverão ser separados dos pais.

Alimentação dos Pássaros

Os canários, em qualquer etapa de suas vidas deverão ter sempre a disposição comi­da farta e água fresca e limpa, Como aves essencialmente graníferas, nunca poderão faltar no comedouro: alpiste, aveia, colza, niger e linhaça. As verduras, principalmente o aimeirão, também são indispensáveis. Estas deverão ser bem lavadas.

Durante o período de alimentação dos filhotes os canários preferem os alimentos macios:
Ovo cozido (só a gema) passado na peneira, pão amanheci­do. embebido no leite constituem bons alimentos, principalmente nos primeiros dias de vida das crias ­Uma boa ração como complemento para os canários na época da cria pode ser constituída de: germe de trigo, neston, farinha de rosca, multivitamínico e ovo de soja em proporções adequada. Essa mistura se­rá, posteriormente enriquecida com gema de ovo passada na peneira e bem homogeneizada com a farinha.

A Limpeza das Gaiolas

Durante a alimentação dos filhotes, por preferirem comida macia, as dejeções dos canários são mais úmidas e mais abundantes. Além do que, esses alimentos se deterioram mais rapidamente, razão pela qual não devem permanecer por mais 12 horas a disposição dos pássaros.

A umidade é altamente prejudicial a criação e além do mais oferece ótimo campo pa­ra a proliferação de pragas (ácaros) O sobrefundo (cama) da gaiola deve ser trocado em dias alternados. 

Local   

O ideal seria um pequeno quarto, bem areja­do, claro e de preferência com frente voltada para o nascente para que possa ser banhado pelo sol da manhã. Suas janelas e porta devem ser protegi­das por tela, para evitar moscas e pernilongos, inimigo mor­tais do canário. As gaiolas que irão receber os casais devem ser colocadas de maneira a não receber correntes de ar direta e ao mesmo tempo oferecer fácil manuseio O cria­douro deve ter um ambiente sossegado e a higiene, tanto no criadouro como nas gaiolas é fundamental.

Tipos

canário do reino amarelo

canário do reino branco
canário do reino topete


Postar um comentário