30 de set de 2015

Coeficientes Técnicos na Criação de Caprinos e Ovinos de Corte



Toda e qualquer atividade agropecuária precisa ser economicamente viável. Para tanto, são propostos alguns passos que, se seguidos, irão proporcionar um instrumental de acompanhamento e análise da viabilidade econômica de sistemas de produção de caprinos e ovinos para corte.
Para avaliar economicamente a viabilidade de se investir na atividade da caprinocultura e da ovinocultura de corte são necessárias informações relacionadas às diversas etapas do processo produtivo descrito neste sistema. Considerando que a viabilidade econômica tem papel-chave na tomada de decisão sobre os investimentos a serem feitos dentro da empresa rural, apresentamos aqui alguns aspectos a serem considerados.


Custos


Os custos são elementos importantes na análise da eficiência dos sistemas de produção implantados. Desta forma, o controle dos custos fixos e variáveis é fundamental para quem está iniciando a produção de ovinos de corte e para quem já se encontra na atividade. Os custos de produção dos ovinos variam de acordo com os insumos usados e práticas de manejo adotadas.


Custos fixos são aqueles que ocorrem independente de haver produção ou não. Entre os principais custos fixos da produção de ovinos de corte está a depreciação.

As benfeitorias e sua depreciação - Compreendem benfeitorias as construções/instalações, açudes, cercas, etc. A Tabela 3 auxilia no levantamento das benfeitorias.


Custos variáveis são aqueles que dependem da escala de produção, ou seja, sua ocorrência está ligada diretamente à produção – não há custos variáveis se não houver produção. Compõem os custos variáveis itens como: mão-de-obra, alimentação, medicamentos, energia, combustíveis, reparos em benfeitorias, máquinas e equipamentos, além da remuneração do capital de giro.
Mão-de-obra - Referem-se aos custos com o pessoal envolvido no processo de produção de ovinos de corte. Pode ser mão-de-obra permanente ou temporária. Para fazer este levantamento, a tabela 9 deve ser utilizada.


O lucro anual da atividade é obtido subtraindo-se o total de despesas (fixas e variáveis) (Parte 2) do total de receitas (Parte 3). O lucro por kg de carne produzido é obtido pela divisão do lucro anual pela produção anual de carne. A tabela 21 poderá facilitar estes cálculos.

Para calcular a sua rentabilidade, o produtor poderá dividir o seu resultado anual obtido com a ovinocultura de corte pelo total do capital investido, assim:
Considerar-se-á como “rentável” a atividade que proporcionar um índice de rentabilidade igual ou superior à aplicação financeira, na qual o produtor poderia ter investido o seu capital.




Postar um comentário